Revista Brasileira de Marketing, Vol. 16, No 3 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Conhecimento em Gestão, Vantagem Competitiva e Performance Empresarial: Proposição e Teste de um Modelo Fundamentado na “Resource Advantage Theory” em MPEs

Rafael Tunes, Plínio Rafael Reis Monteiro

Resumo


As micro e pequenas empresas (MPEs) representam quase 30% do PIB brasileiro, além de empregarem formalmente 44% da mão de obra nacional. Assim sendo, a preocupação com a performance das micro e pequenas empresas (MPEs) ganha destacada relevância social. Neste cenário, é fundamental entender como se podem formar vantagens competitivas sustentáveis (VCS) que sejam Valiosas, Raras, de difícil Imitação e de domínio da Organização (VRIO). Nesta perspectiva o trabalho partiu de uma revisão sobre os conceitos de vantagem competitiva sustentável, a Visão Baseada em Recursos (VBR) e seu conceito VRIO e da Resource Advantage Theory (R-A theory) de Shelby Hunt (1996), uma teoria que integra estratégia de negócios e de marketing. O trabalho procurou operacionalizar um modelo composto inicialmente por dezoito hipóteses, à cerca de como o conhecimento em gestão impacta na performance das MPEs. Após pesquisa quantitativa, baseada na percepção de empresários, concluiu-se que conhecimento em gestão, como um recurso da empresa, conduz à performance superior das MPEs, mas não necessariamente por meio de vantagens competitivas sustentáveis. O alto grau de Imitabilidade, entre as MPEs, surge como um fator que impacta na performance. O estudo contribui ao propor uma forma de operacionalizar a abordagem R-A theory e a VRIO de forma a analisar o impacto dos recursos sobre a performance da empresa. O estudo apresentou evidências favoráveis às proposições gerais do modelo, reforçando a importância do conhecimento em gestão como um dos recursos essenciais à construção de vantagens competitivas.


Texto Completo: PDF